Benefícios nutricionais das sementes de cânhamo

 

O cânhamo tem sido uma importante fonte de alimento, fibras e remédios há milhares de anos no Velho Mundo. Os documentos existentes mais antigos que descrevem o uso de sementes de cânhamo como alimento e remédio são da China. Existem boas evidências de que o cânhamo foi usado primeiramente como uma fonte de fibra e como medicamento em toda a costa do Mediterrâneo, Oriente (Egipto) a oeste (Marrocos), vários séculos antes de Cristo (aC).

 

A meados do século XX, toda a espécie Cannabis Sativa L (incluindo o cânhamo) foram submetidos a rigorosos sistemas de controle internacional, ao ficarem compreendidos entre as substâncias estupefacientes abrangidos pela Convenção Única de 1961 pedra angular do regime proibicionista da ONU que ainda encontra-se em vigor atualmente . Como resultado do exposto anteriormente, o cultivo de Cannabis Sativa L passou a ser praticamente proibida, excepto a cultura para fins científicos e a cultura de certas variedades com uma baixa concentração de princípio activo estupefaciente, cujo o uso podem permitir para fins estritamente industriais, tais como a produção de fibras e sementes. As variedades de cânhamo industrial na Europa têm níveis abaixo de 0,2% de THC (tetrahidrocanabinol-9-Delta).

Figura 1. Valores nutricionais típicos (mg / 100g) de varios produtos de sementes de cânhamo. Traduzido de Fundación Canna: https://www.fundacion-canna.es/beneficios-nutricionales-semillas-canamo

Sementes de cânhamo como fonte alimentar altamente nutritiva

Figura 2. Valores nutricionais típicos (mg / 100g) de vitaminas e minerais em sementes de cânhamo.Traduzido de Fundación Canna: https://www.fundacion-canna.es/beneficios-nutricionales-semillas-canamo

As sementes de cânhamo e seus derivados (como óleo, farinha, etc), devido às suas propriedades nutricionais, seu conteúdo em ácidos gordos, vitaminas, proteínas e minerais, recomenda-se considerá-los como fundamentais para a dieta humana (ver figura 1 e 2).

As sementes de cânhamo têm um sabor característico de noz e são, de fato, atualmente incorporadas em muitas preparações alimentares, como pão, bolos, biscoitos, leites vegetais, gelados, etc. Quase 50% do mercado global de óleo de cânhamo está concentrado na indústria alimentar e nos suplementos nutricionais. A outra metade do comércio mundial se concentra em aplicações cosméticas (sabonetes, Champôs, cremes etc) e outros usos industriais (biodiesel, vernizes, Hempcrete etc).

 

Composição química

 

Os ácidos gordos essenciais (EFAs) estão bem representados no óleo de semente de cânhamo. O ácido oleico "ômega-6" (18: 2n-6, LA) está presente em aproximadamente 55% e o ácido ômega-3 alfa-linolênico (18: 3n-3, ALA) está presente em 20%. Além disso, quantidades significativas de seus respectivos produtos metabólicos foram encontradas, tais como a presença de ácido gama-linolênico (18: 3n-6, GLA) variando de 1-4%, e ácido estearidônico (18: 4n-3, SDA). Ocorre em torno de 0,5 a 2%. Embora a maioria dos óleos vegetais tenha pelo menos alguns dos EFAs, é incomum que eles contenham quantidades tão altas de ambos, e também é incomum que eles estejam em uma proporção de cerca de 3: 1 a ômega-6 / ômega-3, sendo essa relação é recomendada para a ingestão humana (Figura 1).

A composição do óleo obtido a partir da semente de cânhamo torna-se muito interessante devido aos efeitos benéficos que tem para a saúde.

Figura 3. Composição dos ácidos gordos de diferentes óleos vegetais. Traduzido de Fundación Canna: https://www.fundacion-canna.es/beneficios-nutricionales-semillas-canamo

 

Além disso, este óleo também contém tocoferóis, que podem reduzir o risco de doenças cardiovasculares, cancro e degeneração macular devido à idade, além de possuir atividade antioxidante, sendo seu teor em fenóis totais superior ao de outros óleos vegetais, como o girassol ou soja. Estes tocoferóis são conhecidos por serem importantes antioxidantes que têm um efeito positivo na estabilidade oxidativa dos óleos. O tocoferol dominante nas sementes de cânhamo é o γ-tocoferol, seguido pelo α-, β- e δ-tocoferol, a mesma composição em tocoferóis pode ser encontrada no óleo.

Por outro lado, esse óleo é rico em ácidos gordos poliinsaturados (PUFAs) e contém baixas concentrações de ácidos gordos saturados. O último é o que o torna realmente interessante do ponto de vista nutricional, já que hoje a dieta é cada vez mais rica em ácidos gordos saturados e se tenta reduzir sua ingestão, devido a sua relação com o aumento do colesterol total e Colesterol LDL e, portanto, com o risco de sofrer enfermidades coronárias. 

 

Deve ser mencionado que as sementes e os óleos de cânhamo são isentos de glúten!

 

A farinha de sementes de cânhamo é uma excelente fonte de proteína facilmente digerível. A Figura compara o perfil de aminoácidos da proteína total em sementes de cânhamo, soja e ovo. As concentrações de proteína variam entre sementes de cânhamo inteiras (25%), sementes de cânhamo descascadas (45%), soja (32%) e ovo (11%). A imagem ilustra os valores individuais dos aminoácidos por 100 g de proteína para fornecer uma comparação direta entre esses produtos.

O recente interesse nas proteínas do cânhamo aumentou devido ao seu conteúdo excecional de aminoácidos contendo enxofre, isto é, metionina e cisteína e sua surpreendentemente alta quantidade de arginina. Isto faz com que seja um suplemento nutricional ideal para dietas proteicas, para aumentar a massa muscular.

Importância dos ácidos gordos na saúde

 

A alta concentração de PUFAs torna um óleo de importância especial na nutrição humana. Assim, por exemplo, a relação entre os ácidos gordos  ômega-3 e a diminuição do risco de enfermidades cardiovasculares, a proliferação de diferentes tipos de cancros e seu efeito benéfico no tratamento de doenças inflamatórias (como artrite reumatóide, psoríase ou doença de Crohn). 

A presença de GLA serve como um intermediário na síntese de PUFAs de cadeia longa, eicosanóides e endocannabinoids, que desempenham um papel importante em processos vitais que vão desde o controlo da inflamação e tónus muscular até a iniciação das  contracções durante parto.

O óleo de semente de cânhamo, têm uma proporção de 3: 1, tendo uma concentração adequada de ômega-3. As sociedades de nutrição na Alemanha, Áustria e Suíça recomendam uma proporção de 4: 1 a 5: 1, mas considerando que as dietas da Europa Ocidental a proporção atual é de cerca de 10: 1 (devido ao aumento constante a ingestão de ácidos gordos ômega-6, principalmente por causa de sua inclusão em produtos alimentícios processados), o uso de óleo de semente de cânhamo está próximo do nível recomendado. Isto é de grande importância, visto que níveis mais elevados de omega-6 para omega-3 promovem a patogénese de muitas doenças, incluindo cardiovasculares, cancro e auto-imune, enquanto que diminuindo esta relação (omega-6 / omega-3), é dizer aumentando o ômega-3, se obtém os efeitos benéficos para a saúde.

 

Traduzido por: CannabinoidSoul, Lda.  (PT)

(Artigo orginal em Espanhol AQUI!)

Para aprofundar mais os seus conhecimentos científicos sobre a canábis e alimentos CLIQUE AQUI!

 

Data da ultima modificaçāo: 13/07/2019

Quer ver MAIS PRODUTOS CANÁBICOS no mercado Português?

Contribua gratuitamente para a Investigaçāo Canábica Portuguesa e ajude-nos a aumentar a base de dados canábica portuguesa, a combater o estigma e a disponibilizar cada vez mais produtos da Cannabis sativa L. em todo Portugal!

Se for Paciente ou Público Geral, responda em: http://bit.ly/Canabis-e-pacientes-ou-publico

Se for Profissional de Saúde, responda em: http://bit.ly/Canabis-e-profissionais-saude

Se for Profissional de Segurança de Portugal, responda em: http://bit.ly/Canabis-e-profissionais-seguranca