Dos canabinóides ao sistema endocanabinóide: receptores, endocanabinóides e canabinóides exógenos (fitocanabinóides e canabinóides de síntese)

 

Canabinóide é um termo genérico, usado para identificar substâncias naturais ou artificiais que ativam os recetores canabinóides do tipo CB1 ou CB2. Engloba os fitocanabinóides, compostos encontrados na planta Cannabis Sativa L. e estruturalmente relacionados com o THC; os endocanabinóides, também designados canabinóides endógenos, que são encontrados nos sistemas nervoso e imunológico dos animais (incluindo os seres humanos) e que ativam os mesmos recetores; e os canabinóides sintéticos, uma diversidade de substâncias que se ligam aos recetores CB1 e CB2 do sistema endocanabinóide.

O grupo dos canabinóides sintéticos engloba uma variedade de classes químicas distintas: os canabinóides clássicos, estruturalmente relacionados com o THC; os canabinoides não clássicos, incluindo quinolinas e arilsulfonamidas; e os eicosanóides, relacionados estruturalmente com os endocanabinóides. Por oposição aos canabinóides endógenos, os fitocanabinóides e os canabinóides de síntese são designados canabinóides exógenos. Estudos realizados demonstraram que os dois tipos de recetores canabinóides – CB1 e CB2 – se estendem por estruturas neuronais e células do sistema imunitário. Sabe-se que os recetores do tipo CB1 estão localizados essencialmente ao longo de todo o sistema nervoso central, nomeadamente no córtex, hipocampo, cerebelo e gânglios basais. Desta forma, a sua ativação pode estar associada a efeitos relacionados com a função cognitiva, memória, movimento e nocicepção. Adicionalmente, os recetores CB1 podem também influenciar propriedades analgésicas, por se encontrarem igualmente no sistema nervoso periférico (nos gânglios da raiz dorsal) e em tecidos periféricos, como o fígado, pâncreas, pele, coração, pulmão, vasos sanguíneos, trato urogenital e trato gastrointestinal. Já os recetores do tipo CB2 concentram-se maioritariamente em células do sistema imunitário, destacando-se os macrófagos, mastócitos, monócitos, linfócitos e células NK, participando na modulação do sistema imunitário, já que modificam a libertação de citoquinas.

 

 Os recetores CB1 e CB2, juntamente com os seus ligandos endógenos (endocanabinóides) e o sistema enzimático envolvido no seu transporte, síntese e degradação, constituem o Sistema Endocanabinóide.

 

De realçar que é um sistema bastante complexo, envolvido em diversas respostas biológicas, tais como a imunomodulação, coordenação motora, função vascular, motilidade intestinal, perceção da dor, regulação do apetite e controlo do destino natural das células. As substâncias que interagem com este sistema apresentam um elevado potencial terapêutico.

Para aprofundar mais os seus conhecimentos científicos sobre os canabinóides CLIQUE AQUI!


Para aprofundar os seus conhecimentos sobre a Espécie Canábis Sativa L para fins medicinais com uma breve leitura do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida. “RELATÓRIO SOBRE OS PROJETOS DE LEI N.º 726/XIII (3.ª) BE E N.º 727/XIII (3.ª) PAN - UTILIZAÇÃO DE CANÁBIS PARA FINS MEDICINAIS”. Relatores: Carlos Maurício Barbosa, Maria do Céu Soares Machado. CLIQUE AQUI


Para aprofundar mais os seus conhecimentos científicos sobre os Canabinóides e cancro. Publicado em Medicinal Genomics.  CLIQUE AQUI!



Data da ultima modificaçāo: 13/07/2019

Quer ver MAIS PRODUTOS CANÁBICOS no mercado Português?

Contribua gratuitamente para a Investigaçāo Canábica Portuguesa e ajude-nos a aumentar a base de dados canábica portuguesa, a combater o estigma e a disponibilizar cada vez mais produtos da Cannabis sativa L. em todo Portugal!

Se for Paciente ou Público Geral, responda em: http://bit.ly/Canabis-e-pacientes-ou-publico

Se for Profissional de Saúde, responda em: http://bit.ly/Canabis-e-profissionais-saude

Se for Profissional de Segurança de Portugal, responda em: http://bit.ly/Canabis-e-profissionais-seguranca